- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Choro triste

Letra e musica de Jorge Fernando
Repertório de Nuno da Camara Pereira

Encontrei-a por acaso, amargurada
Na expressão a dor que tem a despedida
Procurei dizer-lhe tudo e disse nada
Procurei roubar amor e dei-lhe a vida

Encontrei-a porque tive na vontade
Passear naquela rua, em que um dia
Minha alma despertando p’ra verdade
Chorou triste por alguém que lhe mentia

Encontrei-a, pomba branca aparecida
Sobre a terra e entre o céu, esvoaçando
Por mensagem trouxe a calma apetecida
Que o meu peito resignado ia esperando

Encontrei-a, no entanto, quem diria
Que dois seres, cada qual com sua cor
Numa rua velha, estreita e sombria
Despertavam de mão dada, ao Deus amor