- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Bateu-me à porta a tristeza

Fernanda de Castro / Elvira de Freitas
Repertório de Ada de Castro

Bateu-me à porta a tristeza / Que me anda a namorar
Não a quis à minha mesa / Para quê deixá-la entrar?

A tristeza foi-se embora / Mas voltou ao outro dia
Entrou, cá ficou e agora / Anda a prender a alegria

Tristeza porquê? se a vida é assim
De espinhos e rosas se faz um jardim
Tristeza porquê? se a vida é tão boa
More uma ilusão, um pássaro voa

Agora tem mais cuidado / Sabe que há momentos bons
E que a vida é como o fado / Que se canta em vários tons

A tristeza já não chora / E a sua alegria é tanta
Que aprendeu a rir e agora / Tem rouxinóis na garganta