- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Carta do expedicionário

Linhares Barbosa / Alberto Ribeiro 
Repertório de Alberto Ribeiro 

Angra do Heroísmo, Açores
Quarta-feira 6 de Agosto
Minha mãe, estou no meu posto
Portugal tem defensores


Isto é um jardim de flores / Como outro mundo não tem
Terra de sonho... porém / Para falar-lhe a verdade
Ando cheio de saudade
Minha boa e santa mãe

É a pátria, felizmente / Que dos seus braços me aparta
Não chore ao ler esta carta / Que pode crer, estou contente

Não é só o Continente / Que é Portugal, é todo ele
A Terceira, São Miguel / Corvo, São Jorge, Graciosa
Mas falando de outra coisa
Beije por mim a Isabel

Diga-lhe que me desgosta / Estar aqui há três meses
Já lhe escrevi cinco vezes / Sem ter obtido resposta

Posso jurar que ela gosta / Só de mim, de mais ninguém
Mas saber-me-ia tão bem / Ter notícias qualquer dia
Diga-lhe que, todavia
Aceite beijos, também

Tem graça! mesmo só visto / Chegou agora o correio
E um maço de cartas veio / Da Isabel, tudo isto

P'las cinco chagas de Cristo / Sinto na alma um tropel
A boca sabe-me ao mel / Dos beijos dela e dos seus
Sem mais minha mãe, adeus
Do seu filho Manuel