- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado fracasso

Linhares Barbosa / Alfredo Marceneiro *fado menor-versículo* 
Repertório de Berta Cardoso 

Quando há bocado me viste... reparaste 
Que eu trazia um ar cansado... um ar doente 
Eu ando cansada e triste... e arrependida 
De ter andado a teu lado... ultimamente 

Jurei aos pés do altar... piedosamente 
E jurei a uma Virgem... de olhos doces 
Em sempre te acompanhar... como uma sombra 
Fosses tu ao fim do mundo... aonde fosses 

Mas um dia, um dia veio... um dia não 
Reparei que o teu amor... era aparente 
E fiquei abandonada... desprezada 
Porque tu sem reparar... seguiste em frente 

Eu cansei de ser sombra... de ser crente 
E por isso tu me viste... com cansaço 
Arrastando tristemente... e arrependida 
A falência do meu sonho... o meu fracasso