- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lisboa é um cais de chegada

José Luís Gordo / Manuel Mendes
Repertório de Vasco Rafael

Lisboa é o cais de quem não quer partir
Lisboa é o cais de quem só quer chegar
Lisboa é uma mulher sempre a sorrir
Que veste a ternura em seu olhar

Lisboa é um rio á beira-mar
Tem gritos de gaivotas nas entranhas
Cacilheiros de amor a navegar
Num Tejo que nasceu ali em Espanha

Lisboa é uma avenida no meu peito
Coração dentro do meu coração
Lisboa é uma estrela sempre a jeito
Que eu guardo sempre aqui na minha mão

Lisboa tem paredes côr-de-rosa
E jardins salpicados de luar
Lisboa é uma pomba sempre nova
E nunca mais se cansa de voar