- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.555 LETRAS PUBLICADAS <> 2.630.000 VISITAS < > NOVEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Descia pela rua a cantar

Letra e música de: Mário Moniz Pereira
Repertório de Nuno da Camara Pereira

Descia pela rua a cantar... descia
Falava com todos na rua... falava
Corria por toda a Lisboa... corria
Não dava pelo tempo a passar... não dava

Sentia que estava a viver... sentia
Cantava sá fado corrido... cantava
Não queria ninguém a chorar... não queria
Andava feliz todo o dia... andava

A vida passa e faz viver uma mulher
A vida passa e faz sofrer uma qualquer
As fantasias já não são mais perdoadas
As alegrias são tristezas adiadas

Subia pela rua calada... subia
Não dava pelos outros na rua... não dava
Não ía para fora do bairro... não ía
Achava que a vida passara... achava

Sentia que estava a sofrer... sentia
Cantava só fado a chorar... cantava
Não via ninguém a sorrir... não via
Andava infeliz todo o dia... andava