- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Jonh português

João de Vasconcelos / César de Oliveira
Repertório de Beatriz da Conceição

Sou latino... tenho a mania da briga
Por mais que esconda e não diga, choro um bocado a cantar
Se o destino... americano me fez
Tive um avô português que me ensinou a falar

Só afino... é quando o dólar pretende
Comprar o que não se vende, tirar o que se não dá
Sou latino... sou um devoto bizarro
Dum Santo António de barro p’ra me lembrar do de cá

Todo emproado, atiradinho p’ro fado
Lá vai o Jonh português, vivaço
Americano, com um gingar lusitano
Vocês nem sabem a vista que eu faço

Sou latino... vivo de noites perdidas
Quando se joga ás escondidas com o amor e o luar
Sou latino... gosto de andar á procura
Do sabor d’uma aventura que não se pode encontrar

Sou latino... pula-me a raça nas veias
Sei dar ternura ás mãos cheias, tive a saudade de herança
E pelo hino eu aprendi a gostar
Duma bandeira a acenar a côr do sange e da esperança