- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Agradeço à vida

Rosa Lobato Faria / Moniz Pereira
Repertório de Teresa Tapadas


Digo mal da vida quando a vida é tão madrasta
Digo mal da vida quando a vida é tão cruel
Digo mal da vida quando a vida deixa marca
De fel nos sentidos, de grilhões na minha pele

Vieste e acendeste a magrugada
Perfumaste a minha estrada

Aqueceste a minha mão
Falaste, mandaste embora a saudade
Inventaste a liberdade

Foste vinho e foste pão
Sorriste e nasceu uma roseira
Bem juntinho à cabeceira

Desta cama de paixão

Disse mal da vida quando a vida é tão madrasta
Disse mal da vida quando a vida é tão cruel
Disse mal da vida quando a vida deixa marca
De fel nos sentidos, de grilhões na minha pele

Soubeste transformar a minha casa
Fazer dela ninho de asa

Pôr o fogo a crepitar
Quiseste tirar trevas das gavetas
Descobrir as rimas certas

Nos meus versos nasceu mar
Disseste, vem comigo ver a vida
Ela é muito mais bonita

P’ra quem sabe perdoar

Digo bem da vida que me deu o teu sorriso
Digo bem da vida que me deu o teu calor
Agradeço à vida o meu grão de paraíso
Nunca mais difamo a vida que me deu o teu amor