- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

BARRA DE PESQUISA

Nove milhões de guitarras

Belo Marques
Repertório de Tristão da Silva

Quando nasceram os fados, foram mandados ao Deus dará
Mas houve um fado dolente que ao ver a gente ficou por cá
É português e tem raça, canta a desgraça, chora também
Leva a saudade no peito, dando-lhe o jeito que a vida tem

O fado entrou tantas vezes á
força de muito amar
No peito dos portugueses, q
ue ficou lá a morar
Agora passa cantando quadras soltas e bizarras
Acompanham-no trinando

Nove milhões de guitarras

Tem uma voz que se enlia na ventania deste viver
No soluçar da garganta, põe mágoa tanta que faz doer
É assim o nosso fado, viver magoado por tudo e nada
Pôr o amor numa conta que antes de pronta já está errada