- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vai lá falar

Laierth Neves / Amadeu Ramim
Fado também conhecido com o título *Mensagem de Amor*

Repertório de Cidália Moreira

Vai lá falar àquela mulher sem sorte
Que um dia perdeu o norte e continua perdida
Vai lá levar uma palavra singela
De bondade, p'ra ver se ela volta a acreditar na vida

Vai lá falar àquele a quem chamam louco
Que pintou ainda há pouco mais um quadro de Lisboa
Vai-lhe dizer que ele é que tem razão
Com tintas do coração qualquer tela é sempre boa

Vai lá falar... p
õe o orgulho de lado
Não fiques contrariado, sorri seja p'ra quem fôr
Vai lá falar... a
perta a mão de quem passa
Porque aonde houver desgraça, é preciso o nosso amor

Vai lá falar àquele amigo de infância
Que por qualquer circunstância pede esmola p´ra viver
Anda, vai dar-lhe do teu pão e do teu vinho
Dá-lhe todo o teu carinho p'ra que deixe de sofrer

Vai lá falar àquela que já foi tua
E nunca mais se habitua a ter de viver sem ti
Vai-lhe dizer que vives arrependido
Por não teres compreendido a paixão que havia em si