- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu cheguei muito depois

Nelson de Barros / Fernando Santos / Frederico Valério
Repertório de Helena Tavares

Não tenho culpa de teres gostado
Nem culpa de nós gostarmos os dois
Desculpa, não soube que eras casado
Tinhas já outra a teu lado
E eu cheguei muito depois

Felizes... sei que p'ra serem felizes
Lhe dizes que houve entre nós um adeus
É triste saber que dormes com ela
E que o ciúme provoca o pranto nos olhos teus
Traíste o meu amor e o dela
Trouxeste beijos, por troca
Levaste alguns que eram meus

Pensava ter-te p'ra sempre a meu lado
Foi sonho que bem depressa morreu
Suponho tudo entre nós acabado
Tu no teu lar sossegado
Pois p'ra sofrer basto eu

Embora, leva o amor, vai-te embora
Agora que a flor secou fez-se em pó

Já cansa uma ilusão trazer morta
Já a vergonha se esconde
Na minha dôr que faz dó
A esperança ao bater á minha porta
Ninguém, ninguém lhe responde
Pois lá dentro estou eu só