- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Marujinho

Manuel Rosa / Arlindo de Carvalho
Repertório de Deolinda Maria

Na praia pedi à areia
Que à maré cheia desse um recado
Me troxesse um namorado / Que me fizesse feliz
Na onda veio um marujo
E eu até fujo daquela ideia
Que eu tive em falar à areia / E ao pedido que lhe fiz

Ai marujo, marujinho
Marinheiro de água doce
Peço à onda que te trouxe
O favor de te levar
Espero que troques primeiro
O teu veleiro por um navio
E a água doce do rio
P'la salgada que há no mar


Pode ser que qualquer dia
A água fria volte a aquecer
Esta paixão, que a meu ver / Em má hora desejei
E o marujinho que veio
No doce enleio duma maré
Prove que a água não é / 
Tão doce como pensei