- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tu não te importas

Fernando Correia / Casimiro Ramos
Repertório de Tony de Matos

Tu não te importas
Que eu viva nesta agonia
Ande de noite e de dia
A seguir os passos teus
Tu não te importas
Que eu leve a vida a chorar
Cansado de suplicar
Que voltes aos braços meus

Tu não te importas
Que eu passe as noites sem sono
Nesta dor, neste abandono
A que tu me condenaste
Tu não te importas
Nem sequer tens piedade
De vir matar a saudade
Que no meu peito deixaste

Tu não te importas
Desta alma que foi tua
Antes queres, de rua em rua
Ir
matando os sonhos teus
Tu não te importas
Em andares perdida e louca
Espalhando de boca em boca
Os
beijos que eram só meus

Tu não te importas
Que recorde o teu perfume
Que enlouqueça de ciúme
Ao pensar que te perdi
Tu não te importas
Que um dia eu seja diferente
E ria p'ra toda a gente
Só p'ra não chorar por ti