- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.580 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Malandrice *humor*

José de Castro Carvalho / João Nobre *canto o fado*
Repertório de Zé Carvalho

Eu p’ra armar ao sentimento / E sem causar impressões
Tratei do meu casamento / C’oa mulher dos esfregões
E ao sair da capela / Depois da bela união
Houve uma enorme barrela
E uma esfregadela / Com um esfregão

Meteu em lua de mel
Malandrice
Houve comigo e com ela
Malandrice
Foi toda a noite a fazer
Malandrice
Na malandrice da dança
Houve confiança sem hesitações
Em casa muito dançamos
Que até esfregamos com dois esfregões

Nessa noite tão feliz / Eu que era tão pimpolho
Dei-lhe um beijo no nariz / Ela ferrou-lhe num olho
Logo fiquei meditando / Depois daquela meiguice
Diz ela de vez em quando
Faz oh meu malandro / Outra malandrice

Há dias via aflita / À saída do Bolhão
Escorregou, coitadita / E mostrou o esfregão
Ali eu vi a malícia / De senhores muito atrevidos
Olhando para a delícia
Até um polícia / Caíu sem sentidos