- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vira da minha rua

Frederico de Brito / João Aleixo
Repertório de Celeste Rodrigues *versão do seu último trabalho discográfico*
Existe uma outra versão de Celeste Rodrigues gravada ao vivo na Viela
A versão aqui apresentada foi extraída do repertório de Mafalda Arnauth

Anda o vira na minha rua
Já me encheram a rua toda
Eu só vejo é à luz da lua
Cabeças à roda
Oiço harmónios e cavaquinhos
Vejo tantos braços no ar
Andam pares em remoínho
Rapazes agora é bailar

Quis ver da minha janela / Como é que se dança o vira
Como é que baila a chinela / Sobre o salto que salta e que gira

Pus-me atirando cantigas / E logo de todo o lado
Homens, mulheres, raparigas 
Pareciam formigas / Num vira pegado

Pois agora viro eu / Que ao vira não se resiste
Tanto me viro e reviro / Do avesso nunca se é triste

Salto que salta e que gira / Leva-me ao baile dançar
Que enquanto a vida não vira
Eu troco-lhe as voltas / Que eu quero é bailar