- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Amar assim

Mário Rainho / Raul Ferrão *fado alcantara*
Repertório de Maria Armanda

Espreguiça amor, sobre o meu corpo, o teu corpo
Para que fique absorto o meu olhar
Quero-te assim nos meus lençóis de cambraia
Como onda que desmaia na praia-mar

Seria a estrela do mar, fruto proibido,
Tu, um búzio ao meu ouvido, namorador
Os teus desejos, meu amor, doçura louca
São longos beijos na boca, versos d'amor

E assim nos antecede a noite
A tarde é pernoite e preliminar
Duma lua que já se adivinha
Sei não estar sozinha, sei que vou amar
Pela noite, até madrugada, não quero mais nada
Que correr o perigo
De discreta, (com teu corpo) apagar a lua
Quero ficar nua, sozinha contigo

Hora tardia, que para nós não é tarde
Enquanto esta chama arde de amor, paixão
Este arrepio de suor, que "desagrava"
Mas que não apaga a lava deste vulcão

Nasce a alvorada como um grito da manhã
Ainda há cores de romã em ti e em mim
Não diga o mundo que este amor não é sagrado
Que é vergonha, que é pecado, amar assim
Que é vergonha, que é pecado, amar assim