- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

* Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor *

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* SE NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------

2.135.500 VISITAS /*/ 31.05.2021

--------------------------------------------------

NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO.
Vasco Graça Moura /// Porto 03.01.1942 /// Lisboa 27.04.2014
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Guitarra e violino

Francisco Radamanto / Direitos musicais reservados
Repertório de Mário Rocha, Jorge Fernando e Nuno de Aguiar

Mário Rocha - Declamado
No vasto anfiteatro abandonado
Finda a festa, eu ouvi uma guitarra
E um certo violino afidalgado
A discutir de forma mui bizarra

Jorge Fernando - Fado Alberto de Miguel Ramos
Pobre lira: dizia o violino
Quem te manda a ti, cá vir cantar
Não sabias que eu estava, eu, o divino
Cantor universal de voz sem par

Nuno de Aguiar - Fado Margarida de Miguel Ramos
Que figura mesquinha hás-de fazer
Em contraste com o meu valor profundo
Não voltes a cantar onde eu estiver
Porque eu só; apaixono de todo o mundo

Mário Rocha - Fado Varela de Renato Varela
E a guitarra lhe diz, humildemente;
Teu orgulho é talvez, demasiado
Tens valor sim; mas cá prá nossa gente
Tens um defeito; não cantas o fado

És de todos; não tens pátria, afinal
E eu nunca invejei tua nobreza
Tu és o violino universal
Mas eu sou a guitarra portuguesa