- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aguarela ribatejana

Maria Nelson / Jaime Santos
Repertório de Manuel Fernandes

Um Tejo alegre e contente / Um campo de sol e oiro
A lezíria sempre ardente / Um campino mais um toiro

Uma espera, uma corrida / Uma vela sobre o Tejo
Uma sorte, uma colhida / Tudo isto è Ribatejo

Ó Ribatejo
Terra mimosa e louçã
De Samora a Salvaterra
Da Chamusca à Golegã
Ó Ribatejo
De calção e de barrete
Anda o mar beijando a terra
De Montijo a Alcochete


Num alegre colorido / Sem tristezas e sem mágoa
Anda o fandango vatido / P'las gentes da Borda d'àgua

Andam forcados varinos / Sempre abraçados ao Tejo
Com os valentes campinos / 
Dos campos do Ribatejo