- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado de ontem e de hoje

Silva Tavares / António Melo
Repertório de Tristão da Silva

Eu não entendo a razão / Porque não se canta o fado
Sem vir à baila o passado / A Severa e o Capelão

Sem louvar-se a boa classe / De toureiros e tipóias
Como relíquias ou jóias / Que hoje ninguém fabricasse

O que passou, passou
Basta pois de ideias tontas
Porque bem feitas as contas
O fado só melhorou;
Toda a pessoa sincera
Só por cega represália
Não vê que a fama da Amália
Vale a fama da Severa


Passa-se a vida a dizer / Que hoje o fado já não presta
E que a festa só foi festa / Antes da gente nascer

Mas se investigas e aprendes / Que nenhum bravo, entre tantos
Foi qual foi, Manuel dos Santos / 
Nem qual è Francisco Mendes