- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A saudade de partir

Rosa Lobato Faria / Fernando Correia Martins
Repertório de Vasco Rafael 

Vinhas sem rota sem saber onde pousar
Como a gaivota que perdeu a direção
Não tinhas rua nem lugar
Não tinhas lua nem luar
Só a ansiedade de encontrar um coração

Dizes; sou tua, e é tão bom ver-te sorrir
E danças nua, tens o dom de seduzir
Mas eu prevejo no calor de cada beijo
A viagem do desejo, a saudade de partir

És a aventura, és a cigana
És a ternura a aquecer a minha cama
Ao menos volta se vais voar
Sê a gaivota nos meus olhos cor de mar

Quebraste as asas num país de ventos mil
Sem pão nem casa, sem raiz e sem amor
Mas tinhas olhos cor de Abril
O sol de inverno no perfil
E nos cabelos o feitiço de uma flor

O teu perfume traz o cheiro dos trigais
Teus beijos-lume são viagens siderais
Mas se é verdade essa chama que em ti arde
Sem que vais dizer, mais tarde
Um adeus p'ra nunca mais