- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

* Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor *

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* SE NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------

2.135.500 VISITAS /*/ 31.05.2021

--------------------------------------------------

NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO.
Vasco Graça Moura /// Porto 03.01.1942 /// Lisboa 27.04.2014
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lá vai Lisboa

Norberto de Araujo / Raul Ferrão
Repertório de Amália 

Ai de corações ao alto nasce a lua
E a marcha segue contente
As pedrinhas de basalto cá da rua
Nem sentem passar a gente

Nos bairros desta cidade encantada
Tudo serve na alegria
E faz-se alegre a saudade
Ao toque da alvorada
Ao toque da Avé-maria

Lá vai Lisboa com a saia cor de mar
Cada bairro é um noivo que com ela vai casar
Lá vai Lisboa com seu arquinho e balão
Com cantiguinhas na boca e amor no coração


Bairro novo, bairro velho, gente boa
Em casa não há quem fique
Vai na marcha todo o povo de Lisboa
Da Graça a Campo de Ourique 


Olha o Castelo velhinho, que é a coroa
Desta Lisboa sem par
Abram, rapazes, caminho
Que passa a velha Lisboa
Que vai a Alfama passar