<>-----<>-----<> Existe um espaço de 20 segundos entre o começo do Fado e a sua identificação <>-----<>-----<>
Loading ...

5.915 LETRAS // 1.500.000 VISITAS // DEZEMBRO 2019

Zé da melena

A. Santos / Jaime Santos
Repertório de Fernanda Maria

De quando em quando, da minha água furtada
Meus olhos vão procurando d'outros olhos a morada
Vagueio a vista p'la viela adormecida
Mas nem sombras do fadista, do fado da minha vida

Zé da melena
Onde estás que não te vejo
Vem que a noite está serena
Como a carícia dum beijo
Vem á viela
Que a minha voz não resiste
Atirar-te da janela
O fado dum amor triste

Vem de mansinho por sob o luar de prata
Que te ilumina o caminho da nocturna serenata
Traz a guitarra que aos palácios foi gemer
Não te esqueças da samarra, de manhã pode chover

Zé da melena
Quem dera fosse verdade
Mas sonhar não vale a pena
Com as penas da saudade
Zé da melena
Tu pertences ao passado
Para quê trazer á cena
Relíquias do velho fado