- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado da palavra dita

João Gigante Ferreira / Pedro Rodrigues *fado primavera*
Repertório de Helena Sarmento

Essas letras abraçadas
Alinhadas em palavras / São do chão da nossa boca
A saliva dos teus beijos
Dos teus dedos os desejos / São da pele a minha roupa

As palavras são mil dedos
O maior dos teus segredos / A legenda dos sentidos
As palavras são segredos
Descobertos pelos dedos / Quando estamos tão despidos

E são tantas as palavras
Tão cruzadas as estradas / Na palma da nossa mão
Vou escolher a minha rota
Pelo voo da gaivota / No lugar do coração

Boca a boca respiramos
Corpo a corpo atacamos / A golpes da tua espada
Os sulcos da nossa escrita
São de amor, palavra dita / No segredo duplicada