- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado ribatejano

Carlos Dias / Amadeu dos Santos
Repertório de Hermínia Silva


Ribatejo da lealdade / É o brasão desta gente
Gente nobre que tem vaidade / Em ser fiel e valente

A bravura dos teus campinos / Deu-te Deus por destino
Porque a um toiro enfrentar / Pró saber dominar
Isso é que é ser campino


P'ra entender tudo o que vi
Eu queria ter nascido aqui
Na lezíria onde o sol é mais quente
Até brilha na alma da gente;
Ter por brasão, o coração
Aquela fé que não engana
Ter alma, ralé de cigana

Eis o que eu queria ter
P'ra ser ribatejana

O campino ao seguir o gado / O barrete saltando
Nas lezírias ao sol irado / Parece até ir bailando


Fé em Deus, coração ardente / São primores que eu invejo
Crença, coragem, amor / Lealdade e valor
Isto é que é Ribatejo