- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado da vendedeira

Aldina Duarte / Manuel Maria Rodrigues *marcha do manel maria*
Repertório de Camané 

Vendedeira que apregoas

Entre muitas coisas boas
Uma vida de cansaço;
Rua abaixo, rua acima
Ligeireza de menina
Com vaidade no teu passo

Hoje fruta, amanhã flores
Ao sabor dos teus amores / Tua voz tu vais moldar
Ora triste, ora contente
Se a falar ficas diferente / Não te negas a mostrar

No Inverno és calor
Com certeza sem favor / Nunca paras com o frio
O teu lenço cai no xaile
Como quem dança no baile / Num perfeito desvario

Na cintura bem marcado
Em teu colo pendurado / O avental é um carinho
A brilhar por tanta rua
A saudade é toda tua / Quando mudas de caminho