- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

As duas faces do amor

Emílio Vasco / Moniz Perreira 
Repertório de Fernanda Maria

Antes de amar eu julgava
Que o amor que alguém me desse 
Jamais morrese
E que a promessa sagrada
Um ao outro repetida
Fosse cumprida

Mas um dia tu chegaste
E depressa me provaste
Como eu andava iludida

Ai sim, eu conheço agora / 
As duas faces do amor
Uma canta a outra chora / Uma é riso a outra é dor
E agora que à minha custa / Aprendi o que era amar
Meu coração já se assusta / Quando me sente cantar

Se alguma vez te deixarem
Em circustâncias iguais
Sem mais, nem mais
E sofreres deste tormento
De trocar pela verdade
A felicidade

Verás que quando a gente tira
Ao amor, o que é mentira 
Nem sequer fica a saudade