- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lisboa bairrista

Lopes Victor e música de Martinho d'Assunção
Repertório de Fernanda Maria

Sempre que Lisboa deita / Fora da porta o seu pé
Alfama logo aproveita / Logo aproveita a maré

A maré traz maresia / Todos sabem que assim è
Sendo assim, a Mouraria mais a Guia / Lá vão também na maré

Lisboa è sempre bairrista
Bisbilhoteira, sempre fadista
Quando na rua se mete
Tem logo sete p'ra namorar
Tem logo as Setes Colinas
Que são meninas do seu olhar
Lisboa lá vai com fé
Larilolé,  sempre a cantar


Vai à Bica, à Madragoa / De Benfica até à Sé
Fazendo a corte a Lisboa / Bairro Alto fica ao pé

P'ra Lisboa muito dela / Sempre que Lisboa sai
Ninguém pode ter mão nela / 
E è só dela a rua p'ra onde ela vai