- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Geração anos 60

Manuel de Almeida / Alfredo Correeiro *marcha do correeiro*
Repertório de Carlos Zel
Vou descrever neste fado
Fado simples que alimenta
A saudade em que mergulho;
Um dia por mim passado
Isto nos anos sessenta
Geração de me orgulho

De manhã, tal como era
Da praxe, fui a uma espera / De toiros, e com firmeza
Saltei tronqueiras montadas
Nas ruas engalanadas / Da Sevilha portuguesa

Á tarde minh’alma arranca
Num desprezo p’lo revés / Nem á vida pedi contas
Na praça de Vila Franca
Entre palmas e olés / Lidei um novilho em pontas

Á noite *que burburinho*
Eu mais uma companheira / Numa adega, até ser dia
Entre canjirões de vinho
Cantei á minha maneira / O Corrido e o Mouraria

Cantigas, mulheres e toiros
São legendas, são tesoiros / Que eu a cantar recordei
Ó distante mocidade
Confesso sinto saudade / Desse dia que passei