- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ao Deus dará

Frederico de Brito / Alves Coelho Filho
Repertório de Carlos Ramos 

Quando p'la primeira vez, ouvi
Uma guitarra a rezar por nós
Porque sou um português, sofri
E a timidez ali , prendeu-me a voz

Quem ficou olhando o sol, não vê
Nem distingue o próprio céu do mar
Quem não tem amor e fé, não crê
Pois eu não sei porquê, pus-me a cantar

Tudo o que o fado tem é dum capricho tal
E quando é visto bem, é conhecido mal
Tem feito coisas tais
Sei lá o que ele fez
Até lhe agrada mais ser português
Feito um boémio o vi
Foi um fidalgo já
E tem andado aí ao Deus dará


Doutra vez, quando escutei sem querer
A guitarra a soluçar d'amor
Eu senti o que não sei dizer
Um misto de prazer, d
e mágoa e dor

Quem já sabe o que é amar alguém
E esse alguém nos esqueceu por fim
Já sofreu o mais cruel desdém
Tem que gemer também, porque é assim