- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.200 LETRAS PUBLICADAS // 2.028.600 VISITAS // Janeiro 2020

Atingido este valor // Que me faz sentir honrado // Continuo, com amor // A ser servidor do fado.

.

Tempos que já lá vão

Manuel de Almeida / José Marques *fado triplicado*
Repertório de Manuel de Almeida 

Oh fadistas do passado
Que no fado deram brado
Na boémia e no tacão
As coloridas toiradas
E as noitadas bem passadas
São tempos que já lá vão

Fidalgos aventureiros
Boleeiros e toureiros / Gente nobre, gente fixe
Abalam nas traquitanas
Cem ciganas levianas / Prás adegas de Carriche

As severas, os artistas
Guitarristas e fadistas / E faias de cachené
Os fidalgos mais ramboias
Mandam bater as tipoias / P’ra abertura da água-pé

Entre os improvisadores
Cantadores dedilhadores / Ao findar a desgarrada
Por causa dum rufião
Há discussão e confusão / Resolvida à bofetada

Que é feito do nosso fado
Que deu brado no passado / E um faia a falar calão
As coloridas toiradas
As noitadas bem passadas / São tempos que já lá vão