- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.170 LETRAS PUBLICADAS // 2.000.000 VISITAS // DEZEMBRO 2020

Atingido este valor // Que me faz sentir honrado // Continuo, com amor // A ser servidor do fado.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que nao constam do índice.

Caso encontre alguma avise-me, por favor.

Se não encontra o Fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

Eu não me chame Lisboa

Mário Rainho / Eugénio Pepe
Criação de Filipa Cardoso *revista: Lisboa amor perfeito*

Andava desconfiada / Que ele me saía de casa
Quando eu já estava deitada / É que ele me batia asa

Um dia, de olhar cerrado / Deixei-o sair da cama
Segui-o em passo apressado / E vi que o meu fado

Foi para Alfama

Eu não me chame Lisboa
Se o deixo à toa... a fadistar
Uma mãe sempre perdoa
Mas o menino... anda a abusar
Eu não me chame Lisboa
Muito que doa... vê-lo amuado
Porque mais, que ser bairrista
Que ser fadista... sou mãe do fado


Morámos na Mouraria / Aí, bem o controlava
Quando de casa saía / Logo o meu fado encontrava

Pra não armar um sarilho / E antes que o perca de vista
Vou cantar com o meu filho / 
Fado, com estribilho

Numa revista