- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado das águas

Mário Raínho / Alfredo Marceneiro *fado bailado*
Repertório de Ana Moura

Dentro do rio que corre
No leito da minha voz;
Há uma saudade que morre
Dentro do rio que corre
Em lágrimas até à foz

Dentro do mar mais profundo / Reflectido em meu olhar
Não pára o pranto um segundo
Dentro do mar mais profundo / No meu rosto a desmaiar

Dentro das águas nascentes / Das fontes que a alma canta
Num crescendo de correntes

Dentro das águas nascentes / Correm mágoas p’la garganta

Dentro da chuva caída / Como franjas do meu fado
Eu encharco a minha vida
Dentro da chuva caída / Meu canto é d’águas lavado

Eu encharco a minha vida

Dentro da chuva caída
Como franjas do meu fado