- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Bom dia tristeza

José Luís Perales / Adaptação: Rosa Lobato Faria
Repertório de Dulce Guimarães

No dia em que chegaste junto a mim
Com armas e bagagens pelo chão
Olhaste-me nos olhos e… por fim
Beijaste docemente a minha mão

Até de madrugada te escutei
Falaste de saudade e solidão
E quando já cansada, despertei
Estavas dentro do meu coração

Bom dia tristeza,
Senta-te junto a mim
E diz tu se conheces
Alguém que seja feliz;
Se sabes onde mora
Abranda-me esta dor
Mas, por favor, não digas
Que o seu nome é amor

No dia em que chegaste devagar
Voaram tantos sonhos duma vez
Os teus q’inda viviam sem lutar
Os meus que já morriam sem querer

Agora estou contigo e sabes bem
Que vivo a tua única mercê
Às vezes a cantar não sei p’ra quem
Às vezes a chorar não sei porquê