- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Amália

Manuel Alegre / José Fontes Rocha 
Repertório de João Braga 

Na tua voz há tudo o que não há 
Há tudo o que se diz e não se diz 
Há os sítios da saudade em tua voz; 
O passado o futuro o nunca o já 
Há as sílabas da alma e há um país 
Porque tu mais que tu és todos nós 

Na tua voz embarca-se e não mais 
Não mais senão o mar e a despedida 
Há um rastro de naufrágio em tua voz; 
Onde há navios a sair do cais 
Nessa voz por mil vozes repartida 
Porque tu mais que tu és todos nós 

 Há mar e mágoa e a sombra de uma nau 
A Gaivota de O’Neil e o rio Tejo 
Saudade de saudade em tua voz; 
Um eco de Camões e o escravo Jau 
Amor ciúme cinza e vão desejo 
Porque tu mais que tu és todos nós