- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado da serra

Ary dos Santos / Joaquim Luíz Gomes 
Repertório de Carlos do Carmo 

Minha serra, cabeça de altas montanhas 
Nevada de altas tormentas
Rebanho de dores tamanhas 
Minha serra de casas tristes e escuras 
Quase negras, das cinzentas 
Lareiras das amarguras 

És moça raiana, saia de cambraia
Estrela que a manhã raia
Oração profana dirigida ao céu
Estrela dum céu que não é meu

Minha serra, neve, cajado, pastor
Força dum homem sózinho 
Que só dum cão tem amor
Minha serra, meu amor deitado na lã
Numa cama maior que há-de ser
O ardor do calor de amanhã

Minha serra, altura do sofrimento
Aos ombros dos homens mais puros
És mais alta do que o vento 
Minha serra escalada como uma igreja
Aos ombros dos homens mais duros 
Para que esta terra seja