- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Dono das saudades

José Fernandes Castro /Popular *fado moleirinha* 
Repertório de Júlio Pereira 

Eu sou o dono da saudade que te canto
Mas já não tenho mais saudade p'ra te dar
Meu poema é um lamento e no entanto
Dá-me prazer sentir a alma soluçar

Sou o poeta deste verso feito prece
E sou a voz que te procura em cada fado
Tu és luar que já não vem, nem amanhece
És sonho triste, que sonhei, mesmo acordado

Se te procuro, só encontro esta saudade
Que me fascina, quando quero estar contigo
Esta paixão, é um poema sem idade
E este sonho, é muito mais do que castigo

Mas mesmo assim, quero manter a esperança
Que me conforta, mesmo sendo traiçoeira
Ai meu amor, minha saudade verdadeira
O povo diz, que quem espera sempre alcança