- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

À beira do cais

Manuel Viegas / António José
Repertório de Dina do Carmo

-
Criação de Dina do Carmo
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*

-
Esse bando de gaivotas 
Brincando em cada maré
Este mar de água parada 
Que alimenta a minha fé

Os barcos que vão chegar 
Os barcos que vão partir
Todo este cais é um mundo
Donde não quero fugir

À beira do cais
Quem me vê já me conhece
Sou a tal que não se esquece
Que é do mar que tu virás
À beira do cais
Tenho o meu destino agora
Estou sempre à espera da hora
Em que um dia voltarás


Há quem não ache acertado / Mas a mim, pouco me interessa
Que não é por vir aqui / Que tu voltas mais depressa

Mas ficou-me este costume / Que até hoje não perdi
Junto ao mar, eu acredito / Que estou mais perto de ti