- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Entre oceanos

José Luís Gordo / Arménio de Melo
Repertório de Luís Caeiro

Entre o mar que nos separa
Dos oceanos do mundo
Há uma guitarra que chora
Um canto que se demora
Num grito calado e mudo

Ganhamos este destino / Com caravelas de vento
Rotas de vento à bolina
Mas ninguém nos adivinha / As cordas do pensamento

Contam-me os mares da distância / Os segredos dos navios
Das rotas que me apetecem
Lá onde moram os frios / Que os marinheiros conhecem

E tu moras tão perto / Deste mar por mim salgado
Das lágrimas com que te canto
Meu país ganha-me o pranto / Que eu entrego a tanto fado