- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Assim é que é

José Galhardo / João Nobre
Repertório de Ada de Castro 

Oiço dizer mal do fado
Mas quem nos faz o remoque
São os pipis do Chiado
As rachas ao lado
Do twist e do rock

Deixai falar, não ligamos
Pois também nós, com razão
Do que eles gostam não vamos
Dizer que gostamos
Lá isso é que não

Dizem que o fado é maldito
Bonito, bonito // Bonito não é
Que o Bairro alto é esquisito
Bonito, bonito // Bonito não é
Que ir lá comer peixe frito
Bonito, bonito // Bonito não é
Mas pra ser fado, ‘stá escrito
E eu digo e repito
Assim é que é

Dizem que é feia a vila
É… mas que graça que tem
Os paus de roupa à janela
E as cordas com ela
E a cor num vai-vém

Dizem que é mau ser fadista
Ser Teddy-boy é que é mau
Mas o pior, salta à vista
Que é ‘star noutra lista
Ser pumba e báu báu