- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lisboa dos milagres

António Vilar da Costa / Nóbrega e Sousa
Repertório de Amália

Lisboa vem p’ra rua / Que o Santo António é teu
São Pedro deu-te a lua / E o mundo escureceu

Comprei-te um manjerico / E trago-te um balão
Em casa é que eu não fico / Ó meu rico São João

Lisboa gaiata
De chinela no pé
Lisboa ladina
Que linda que ela é
Lisboa travessa
Que bailas a cantar
Sereia pequenina
Que Deus guarda ao pé do mar

Lisboa faz surgir / Ai que milagre aquele
Cantigas a florir / Num cravo de papel

Nos arcos enfeitados / Poisaram as estrelas
E há anjos debruçados / Nos telhados das vielas