- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Beijo emprestado

Fernando Farinha / Alberto Correia
Repertório de Fernando Farinha

Andei contigo a dançar
E ao reparar nos olhos teus
Vi que sorriam contentes em frente dos olhos meus
Um beijo pede-se e dá-se e eu fui p’lo velho ditado
E dei-te um beijo na face

Dá-me o calor do beijo que te emprestei
Quero ver se o teu amor é igual ao que eu te dei
Fica mais leve quem paga contas que tem
Quem paga aquilo que deve, não deve nada a ninguém


Vê se te lembras, Maria,
Daquele dia que te emprestei
O beijo que me pediste e nos teus lábios deixei
Vê lá bem quando te atreves a liquidar esse beijo
Que há tanto tempo me deves