- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.350 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Dança das sete luas

Ana Vidal / João Veiga
Repertório de Kátia Guerreiro

Lua branca, quem te fez tão feiticeira
Tecedeira de prodígios e magias?
Quem te seu poder tamanho
Que sob o teu manto estranho
Faz reais as mais distantes fantasias?

Lua cheia
Tempestade nos sentidos desmedidos
Nesse teu encantamento
Porque me rendo ao fascínio
Que me impôem o teu domínio
Corpo solto na vertigem do momento

Lua nova
Face oculta do mistério de um império
Que não ouso desvendar
Embuçada sentinela
Que mesmo á noite revela
Ter a força dos segredos por contar

Lua meia
Em caprichosa mudança numa dança
Que a voz do tempo conduz
Espelho de quem é sempre mulher
E vive num constante renascer
Nos matizes mais secretos dessa luz

Lua branca... Lua cheia
Lua nova... Lua meia