- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.570 LETRAS PUBLICADAS <> 2.630.000 VISITAS < > NOVEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Recordações do passado

Frederico de Brito / João Viana
Repertório de Rodrigo

Este fado foi gravado por Carlos Ramos com o titulo *Recordar é viver*

Concordo que me falem na Severa
Pois nos seus tempos já era / Mais que raínha do fado
Entendo, dever lembrar outros mais
Esses nomes imortais / Dos fadistas do passado

Tecer a glória / Duma Cesária fadista
Duma Maria Vitória / Ou duma Júlia Florista
Dum Armandinho / Fadista duma só crença
Marceneiro e Machadinho / Joaquim Campos e Proença

Dos poucos nomes que disse 
Não posso, mesmo que queira
Esquecer a Maria Alice
Maria Emília Ferreira
Depois nesta hora incerta
Lembrar a Ercília Costa
Amália, Hermínia e Berta
Das quais tanto o povo gosta

Agora quando os mais novos acordam
São os velhos que recordam / Como em tempos era o fado
Os de hoje, de vida alegre e louçã
Hão-de chorar amanhã / Com saudades do passado

Ninguém entende nessa aparência bizarra
Como é que a gente se prende / Ás cordas duma guitarra
Ninguém maldiga o fado que nos encanta
Que a vida é uma cantiga / Que nem toda a gente canta

E quando eu fôr mais velho
Hei-de entreter-me, bem sei
Ensinando aos meus rapazes
Os fados que já cantei
Talvez que vocês apontem
As nossas noites de agrado
Que lhes digam, que lhes contem
Que eu também cantava o fado