- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado das bocas *o morcãozinho*

Joaquim Pessoa / Fernando Tordo
Repertório de Zélia Lopes

Diz-se em Lisboa: antes morto que do Porto
Mas os do Porto aguentam bem a bronca
E respondem á farronca;
Ouve lá... oh morcãozinho
Se tu és lá de Lisboa

Não deves ser coisa boa

Queres saber onde o canário baixa a bola?... é na gaiola!
Afinal o que ele pretende é mais alpista... está bem á vista
De tanto coçar as penas p
or comichão ou inveja
Este canário compara o cú, c
'oa feira de Beja

Troca o dito por não dito e ao fim e ao cabo, nem o diabo

Se lembrava de dizer por brincadeira, tamanha asneira
Por muito que se resmungue, lá volta a boca de novo
Este canário confunde o
poleiro, com o ovo