- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Barquito corcel

Letra e musica de Jorge Fernando
Repertório do autor

Cada vez que se faz ao mar, o meu barquito
Leva a esperança, as redes, e os remos p'ro labor
Cada vez que se faz ao mar todo expedito
Acredito que o mar ao meu barquito tem amor

Cada vez que ele afastando as ondas faz distante
Minha aldeia que dorme no sossego do luar
Mais eu sinto que há nele o jeito terno do amante
Que em segredo se encontra á luz da lua com o luar

Ai meu barquito corcel
Pulando as ondas do mar
Rabo de espuma e a pele curtida
P'lo sol e o luar

Cada vez que o vejo sobre a areia, vejo a mágoa
Que aparece quando se tem longe o nosso amor
Mas depois, logo a maré enche e um beijo de água
É carícia que faz enaltecer-lhe a viva côr

Cada vez que vê sobre o seu mar outra conquista
Ergue a proa gritando em desafio essa traição
E então, nos seus olhos de mar logo se avista
O ciúme romper-lhe em maré cheia o coração