- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.555 LETRAS PUBLICADAS <> 2.603.800 VISITAS < > OUTUBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não acordes minha dor

António Campos / Jaime Santos
Repertório de Fernanda Maria
Este poema também foi gravado por Cidália Moreira
na música do Fado Porto de Cavalheiro Júnior

Quando voltares, tem cautela
Pisa bem devagarinho
Não acordes minha dor
Transforma-te numa estrela
Vem com nuvens de carinho
E traz-me um pouco de amor

Abre a porta levemente
Sobe a escada passo a passo / Lembra-te do tempo antigo
Dá-me um beijo docemente
Acorda-me num abraço / Estarei sonhando contigo

Depois, mente-me em segredo
Diz que tiveste saudade / Deves mentir, meu amor
É que eu tenho muito medo
Que a amargura da verdade / Venha acordar minha dor