- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Fado do Ribatejo

Raúl Ferrão / José Galhardo
Repertório de Madalena Iglésias

Já não percorro contente os campos da minha terra
Já nem me aquece a luz quente das tardes de sol da terra
Fugiu-me o sol da ventura do céu da minha ilusão
E a voz de Deus, noite escura, caiu no meu coração

Oh Ribatejo, pai do meu Tejo
Já te não vejo sempre a cantar
Teus horizontes, rios e fontes
Prados e montes, sinto a chorar
Toda a beleza da natureza
Acho tristeza desolação
Como acho negro o destino
Porque o campino está na prisão

Vivendo a rir mal sabia que o riso é primo da mágoa
E tem a santa alegria das gentes da borda d'água
O amor de mãe que dá tudo e só nos ensina o prazer
Foi já na escola da vida que eu aprendi a sofrer