- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.240 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.053.000 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

.

Cena fadista

António Vilar da Costa / José Marques *fado triplicado*
Repertório de António Mourão

Um marinheiro de Alfama
Que tem fama na Moirama
De atrevido  e valentão
Beijou a Rosa varina
Em surdina, mesmo à esquina
Da Rua do Capelão

Mas nisto, o Chico da Guia / Rufia da Mouraria
Com um sorriso canalha
Segundo o que se presume / Por ciúme, aponta o gume
Traiçoeiro, da navalha

A nova correu a Graça / Breve passa à populaça
Do famoso Bairro Alto
Logo chega à Madragoa / Corre à toa, põe Lisboa
Quase toda em sobressalto

Depois
, silêncio sagrado / Volta o fado a ser cantado
À esquina da Saúde
E aquele bairro de então / Tão brigão e rufião
Parece que tem virtude