<>-----<>-----<> Existe um espaço de 20 segundos entre o começo do Fado e a sua identificação <>-----<>-----<>
Loading ...

5.915 LETRAS // 1.500.000 VISITAS // DEZEMBRO 2019

Rua deserta

Hélder Moutinho / Frederico Pereira
Repertório de Hélder Moutinho

Naquela rua deserta
Onde a esperança se revela
Numa constante ilusão
Há uma porta entreaberta
Ao lado de uma janela
Onde mora a solidão

As pedras negras da rua
Revelam que a madrugada / Serve a sorte e o desejo
Sob a candeia da lua
Vê-se uma boca fechada / No labirinto de um beijo

Os sonhos desvanecidos
Perdidos na desventura / Das obras ébrias, tardias
São presentes proibidos
À espera de uma ternura / Que morre todos os dias

Ao fim da tarde, uma estrela
Surge tão pausadamente / Que nem pede para ficar
Quase ninguém dá por ela
Saudade que não se sente / Já não se pode matar

Na esquina bate o passado
E os versos de uma quimera / Contam a história de alguém
Melancolia de um fado
Nascido na primavera / Mas não sabe de ninguém

Naquela morada incerta
Ao bairro da solidão / Luz vermelha da cidade
Há uma porta entreaberta
Onde se perde a razão / P’ra se morrer de saudade