- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Liberta-me, amor

Maria João Dâmaso / Armandinho *alexandrino do estoril*
Repertório de Beatriz da Conceição


Encontrei-me perdida no céu da noite escura
Aonde te inventei nas estrelas que não vi
A noite adormecida entornava ternura
No meu corpo sem lei, em meus braços sem ti

Enlaçou-me num afago, a sua imensidão
De silêncio maior que a nudez dos mortais
Como este que em mim trago, feito de solidão
Onde sobeja a dôr por não te saber mais

Gritei então o teu nome rompendo com o meu grito
O vácuo espelhado nas águas em quietude
O som desenterrou-me o meu amor aflito
Há muito sufocado cantou em voz mais rude